Clube

22 janeiro 2021, 14h43

COVID-19 no mundo

[EM ATUALIZAÇÃO]

A pandemia COVID-19 parou e mudou o mundo desportivo, financeiro, económico e político. Acompanhe aqui EM DIRETO as principais notícias oficiais, desportivas e generalistas do que se passa em Portugal e no mundo. 

22 de janeiro

DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [14h17] | "Novo máximo diário de mortes." "Portugal registou nesta sexta-feira mais 234 mortes por COVID-19 (um novo máximo diário) e 13 987 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde.

Desde o início da pandemia, Portugal contabiliza 9920 mortes e 609 136 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, estando nesta sexta-feira ativos 157 660 casos, mais 6434 em relação a ontem (o número mais alto de sempre).

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 5779 doentes, mais 149 em relação a quinta-feira, dos quais 715 em cuidados intensivos, mais 13 (valores que também representam novos máximos desde o início da pandemia).

As autoridades de saúde têm sob vigilância 200 730 contactos, mais 7830 relativamente a ontem.

O boletim revela ainda que foram dados como recuperados mais 7319 doentes. Desde o início da pandemia em Portugal, em março, já recuperaram 441 556 pessoas."

21 de janeiro

DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h15] | Abaixo dos 14 mil novos casos de infeção. "Portugal voltou a bater o recorde de mortes diárias por COVID-19. Segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde, nas últimas 24 horas, registaram-se mais 221 mortes.

Mais de metade do número de vítimas mortais tem mais de 80 anos, num total de 145.

Em relação aos novos casos, depois de na quarta-feira ter ultrapassado os 14 mil, no dia de hoje, quinta-feira, é de 13 544.

O número de internados mantém a tendência de crescimento. Há agora 5630 pessoas internadas com COVID, mais 137 do que ontem, das quais 702 em cuidados intensivos (mais 21 do que ontem)."

20 de janeiro

Relatório DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [14h58] | "Novos máximos diários." "Portugal regista nesta quarta-feira novos máximos: mais 219 mortes relacionadas com a COVID-19 e 14 647 novos casos de infeção, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde.

O máximo diário de mortes tinha sido registado nesta terça-feira, com 218 óbitos a lamentar.

O máximo de casos de infeção tinha sido de 10 947 registado a 16 de janeiro.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 9465 mortes e 581 605 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, estando nesta quarta-feira ativos 143 776 casos, mais 7935 em relação a ontem.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 5493 doentes, mais 202 em relação a terça-feira, das quais 681 em cuidados intensivos, mais 11.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 184 034 contactos, mais 9679 relativamente a ontem.

O boletim revela ainda que foram dados como recuperados mais 6493 doentes. Desde o início da pandemia em Portugal, em março, já recuperaram 428 634 pessoas."

19 de janeiro

PORTUGAL: TVI 24 [16h50] | Declarações do primeiro-ministro no debate desta terça-feira. António Costa anunciou que a partir desta quarta-feira (20 de janeiro) vão iniciar-se os testes rápidos nas escolas e adiantou que não hesitará em fechar estabelecimentos de ensino se verificar que a variante inglesa do novo coronavírus, mais contagiosa, se tornar dominante. 

O primeiro-ministro anunciou também que o decreto com as novas medidas restritivas para o combate à COVID-19, que foi aprovado pelo Governo na segunda-feira, vai entrar em vigor às 00h00 desta quarta-feira. "O senhor Presidente da República [Marcelo Rebelo de Sousa] já promulgou o nosso decreto-lei. Portanto, o decreto será publicado ainda hoje [em Diário da República] e entrará em vigor às 00:00 de quarta-feira", declarou António Costa na Assembleia da República.

Boletim DGS COVID-19

PORTUGAL: TVI 24 [15h00] | Números do dia. Portugal contabilizou hoje 218 mortes, um novo máximo de óbitos em 24 horas, relacionados com a COVID-19, e 10 455 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Quase metade das mortes registaram-se na região de Lisboa e Vale do Tejo (88 mortos).

O boletim epidemiológico da DGS revela também que estão internadas 5291 pessoas, mais 126 do que na segunda-feira, das quais 670 em unidades de cuidados intensivos, ou seja, mais seis, dois valores que são novos máximos. Desde o início da pandemia, em março de 2020, Portugal já registou 9246 mortes associadas à COVID-19 e 566 958 infeções pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 135 841 casos, menos 45 do que na segunda-feira.

18 de janeiro

DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h01] | "Novo máximo de 167 mortes num dia." "O boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) revela que nas últimas 24 horas morreram 167 pessoas com COVID-19 e há registo de 6702 novas infeções.

Desde o início do ano, ou seja, em 18 dias, já morreram mais de duas mil pessoas com a doença em Portugal.

Nos hospitais portugueses estão internadas mais 276 pessoas com COVID-19, num total de 5165 doentes (o maior número desde o início da pandemia), de acordo com os dados desta segunda-feira.

Em unidades de cuidados intensivos há 664 internados, mais 17 em relação a ontem.

Portugal tem agora mais de 135 mil casos ativos de COVID-19, uma subida de 1875 no espaço de um dia.

Recuperaram da doença 4660 pessoas e há 166 mil em contactos de vigilância.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, registaram-se em Portugal 9028 mortos por COVID-19, mais do que as pessoas que morreram durante a Guerra Colonial. De acordo com o relatório da Comissão para o Estudo das Campanhas em África, nomeada pelo Governo da Aliança Democrática (AD), em 1980, as Forças Armadas indicaram que morreram 8.600 mortos entre os militares mobilizados para o combate.

Numa análise por regiões, Lisboa e Vale do Tejo tem esta segunda-feira mais 70 mortes e 2643 casos, enquanto o Norte regista 42 óbitos e 2109 infeções.

A região Centro tem 38 mortes e 1217 casos, o Alentejo 14 mortes e 258 infeções e o Algarve três mortes e 239 novos casos.

Nas regiões autónomas, a Madeira tem nesta segunda-feira mais 137 casos e os Açores 99 infeções."

17 de janeiro

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [14h11] |Mais 152 mortes e 10 385 casos nas últimas 24 horas. "Desde sábado foram internadas mais 236 pessoas, um recorde diário. O boletim diário da Direção-Geral da Saúde dá conta de mais 10 385 infetados com o novo coronavírus e de mais 152 óbitos em 24 horas.

As autoridades de saúde notificaram mais 236 internados desde sábado, um recorde diário, com mais nove doentes a darem entrada em Unidades de Cuidados Intensivos.

Portugal conta com mais 4 387 recuperados, totalizando 406 929 pessoas que já ultrapassaram a doença COVID-19.

A região de Lisboa e Vale do Tejo é novamente aquela que regista mais infetados nas últimas horas (4 190), seguindo-se a região Norte com 3 448."

16 de janeiro

Relatório DGS

PORTUGAL: TVI24 [14h12] | "10 947 infetados, o pior dia até hoje." "As autoridades de saúde anunciaram neste sábado mais 166 óbitos e 10 947 infetados decorrentes da pandemia de COVID-19, o pior dia até hoje.

Desde sexta-feira, foram notificados mais 93 internados, dos quais 16 em Unidades de Cuidados Intensivos.

A região de Lisboa e Vale do Tejo foi a que mais infetados registou nas últimas 24 horas (3975), com o Norte a atingir 3795 novos contágios.

As autoridades de saúde têm em vigilância 155 401 contactos, mais 12 661 relativamente ao dia anterior.

O boletim revela ainda que 8477 pessoas foram dadas como recuperadas.

Desde o início da epidemia em Portugal, em março, já recuperaram 402 542 pessoas.

Relativamente às 166 mortes registadas nas últimas 24 horas, 69 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, 46 na região Norte, 28 na região Centro, 17 no Alentejo, cinco na região do Algarve e uma na Madeira.

Ainda segundo o boletim da DGS, na região de Lisboa e Vale do Tejo, foram notificadas 3975 novas infeções, contabilizando-se até agora 179 873 casos e 3115 mortes.

A região Norte registou 3795 novas infeções por SARS-CoV-2, nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, a região Norte já registou 252 760 casos de infeção e 3685 mortes.

Na região Centro, registaram-se mais 2136 casos, acumulando-se 71 489 infeções e 1360 mortos.

No Alentejo, foram assinalados mais 510 casos, totalizando 17 812 infeções e 388 mortos desde o início da epidemia em Portugal.

A região do Algarve tem hoje notificados 402 novos casos, somando 12 112 infeções e 116 mortos.

A Madeira registou 79 novos casos. Esta região autónoma contabiliza 2489 infeções e 23 mortes, devido à COVID-19.

Na Região Autónoma dos Açores, foram registados 50 novos casos nas últimas 24 horas, somando 2881 infeções e 22 mortos.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções."

15 de janeiro

DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h33] | "Novo máximo de 159 mortes e 10 663 casos." "Portugal regista nesta sexta-feira um novo máximo de 159 mortes por COVID-19 e 10 663 casos, avança o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Nos hospitais há mais 192 pessoas internadas, num total de 4560. Em unidades de cuidados intensivos deram entrada 11 pessoas nas últimas 24 horas e há agora 622 pacientes.

O número de casos ativos da doença subiu para quase 126 mil, com mais 4046 infeções no espaço de um dia.

Recuperaram da doença quase 6500 pessoas e há agora mais de 142 mil em contactos de vigilância.

Desde a chegada da pandemia a Portugal, em março do ano passado, estão confirmadas 8543 mortes e mais de 528 mil casos de COVID-19.

Numa análise por regiões, Lisboa e Vale do Tejo (LVT) registou no último dia 65 mortes e 4280 casos.

Na região Norte há mais 35 mortes e 3295 infeções e no Centro 34 óbitos e 2041 novos casos.

O Alentejo tem 15 mortes e 577 casos, o Algarve 10 óbitos e 328 infeções, a Madeira 93 casos e os Açores 49 infeções."

14 de janeiro

DGS 14 de janeiro

PORTUGAL: SIC Notícias [13h55] | Mais 10 698 casos de infeção. "Portugal regista nesta quinta-feira mais 148 mortes relacionadas com a COVID-19 e 10 698 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 8384 mortes e 517 806 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando nesta quinta-feira ativos mais 5487 casos, num total de 121 815.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 4368 doentes, mais 128 em relação a ontem, das quais 611 em cuidados intensivos, mais 15.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 138 992 contactos, mais 8105 relativamente a ontem.

O boletim revela ainda que foram dados como recuperados mais 5063 doentes. Desde o início da pandemia em Portugal, em março, já recuperaram 387 607 pessoas."

13 de janeiro

António Costa

PORTUGAL: SIC Notícias [18h35] | Novas medidas de confinamento em Portugal. "Após a reunião de Conselho de Ministros realizada no Palácio da Ajuda, em Lisboa, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou as novas medidas de confinamento que vigorarão em Portugal neste Estado de Emergência desta quinta-feira, às 00h00 até 30 de janeiro.

O líder do Governo começou a sua intervenção a falar de "momento perigoso", mas de "maior esperança". "Este é um momento simultaneamente mais perigoso e de maior esperança. Quando hoje vimos uma senhora de 111 anos num lar em Gouveia a ser vacinada isso acalenta-nos a esperança que será possível vencer esta pandemia, mas, ao mesmo tempo, quando tivemos hoje mais 156 falecimentos, ontem mais 155, um total de 55 que morreram desde domingo, percebemos que estamos num momento mais perigoso", afirmou.

António Costa reiterou que as novas medidas se resumem ao dever de "ficar em casa". "Não há cansaço que nos permita assumir esta dor coletiva de continuarmos a ter mais de 100 mortes por dia, não é aceitável e temos de parar isto. A mensagem fundamental das decisões que tomamos é regressar ao dever de recolhimento domiciliário tal como o tivemos em março e abril quando travamos com sucesso a primeira vaga. Não nos foquemos na exceção, mas sim na regra. A regra é simples: cada um de nós deve ficar em casa", completou, adiantando de seguida que é preciso "travar o crescimento da pandemia, salvar vidas, esmagar a curva, proteger o SNS, apoiar os profissionais de saúde e que os portugueses se ajudem uns aos outros".

"Não podemos voltar a repetir este ano a mesma regra e, por isso, com as cautelas que tornaram a escola segura, vamos manter as escolas em funcionamento", revelou ao garantir que as escolas vão continuar abertas e que o ensino será presencial, até para "não voltar a sacrificar a atual geração de estudantes".

O teletrabalho também foi referido pelo primeiro-ministro, que garantiu que o mesmo "é obrigatório sempre que possível". "O teletrabalho é imposto sem necessidade de acordo entre patrões e trabalhadores e dispensando o acordo de qualquer deles. É mesmo obrigatório sempre que possível. E para assegurar o cumprimento desta obrigação consideramos como muito grave a coima decorrente da violação da obrigatoriedade do teletrabalho", disse."

Medidas confinamento

REGRAS DO NOVO CONFINAMENTO

  • Confinamento obrigatório (pessoas com COVID-19 ou em vigilância ativa)

  • Dever geral de permanecer em casa (com algumas exceções)

  • Teletrabalho obrigatório (incumprimento considerado contraordenação muito grave)

  • Comércio e serviços (encerrado, salvo os estabelecimentos autorizados)

  • Restaurantes e cafés: só take-away ou entregas ao domicílio

  • Serviços públicos: mediante marcação prévia

  • Educação: estabelecimentos de ensino abertos, em regime presencial

  • Estabelecimentos culturais encerrados

  • Exercício individual ao ar livre; ginásios e outros recintos desportivos encerrados

  • Futebol: Seleções Nacionais e 1.ª divisão sénior sem público

  • Eventos proibidos, salvo campanhas eleitorais e celebrações religiosas

DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [14h14] | 10 556 casos nas últimas 24 horas. "Portugal regista hoje mais 156 mortes relacionadas com a COVID-19 e 10 556 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim Direção-Geral da Saúde.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 8236 mortes e 507 108 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando nesta quarta-feira ativos mais 5940 casos, num total de 116 328.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 4240 doentes, mais 197 em relação a terça-feira, das quais 596 em cuidados intensivos, menos 3.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 130 887 contactos, mais 5591 relativamente a ontem.

O boletim revela ainda que foram dados como recuperados mais 4460 doentes. Desde o início da pandemia em Portugal, em março, já recuperaram 382 544 pessoas."

12 de janeiro

DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h26] | "155 pessoas morrem com COVID-19 em 24 horas." "O boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) indica que nas últimas 24 horas há registo de mais 155 mortos e 7259 novos casos de COVID-19 em Portugal. Com as vítimas mortais contabilizadas nesta terça-feira, Portugal ultrapassa os oito mil mortos (8080) por COVID-19, desde o início da pandemia.

Em Lisboa e Vale do Tejo há 3201 novos casos, no Norte 2180, no Centro 1129, no Alentejo 434, no Algarve 143, nos Açores 101 e na Madeira 71.

Os números de internados atingem valores inéditos desde o início da pandemia: 4043 internados, mais 60 do que ontem, dos quais 599 em cuidados intensivos, mais 32 do que ontem. Há, neste momento, 110 388 casos ativos da doença.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 496 552 casos positivos da doença, dos quais 378 084 recuperaram."

11 de janeiro

DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h09] | "Novo máximo de mortos com Covid-19 em 24 horas." "O boletim diário da Direção-Geral da Saúde aponta para mais 122 mortos e mais 5604 infetados com COVID-19 nas últimas 24 horas.

Os novos casos registaram-se 2158 em Lisboa e Vale do Tejo, 1498 no Norte, 997 no Centro, 519 no Alentejo, 233 no Algarve, 138 nos Açores e 61 na Madeira.

O número de internados também continua em trajetória ascendente, aproximando-se dos quatro mil. Há, neste momento, 3983 pessoas internadas em unidades de saúde (mais 213 do que ontem), dos quais 567 em cuidados intensivos (mais nove do que ontem).

De acordo com o documento, há agora 109 312 casos ativos da doença, mais 2534 do que ontem.

Desde o início da pandemia, Portugal registou 489 293 casos positivos da doença, dos quais 7925 acabaram por morrer e 372 056 conseguiram recuperar."

10 de janeiro

Boletim DGS

PORTUGAL: LUSA [14h25] | Mais 102 mortes e 7.502 novos casos de contágio. Portugal regista hoje mais 102 mortes e 7 502 novos casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, uma nova redução em relação aos aumentos do último dia, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A DGS regista ainda mais 215 pessoas internadas nas últimas 24 horas, totalizando 3 770, 18 das quais em unidades de cuidados intensivos (558 no total), e estes números são muito superiores ao aumento de sábado, em que houve 104 novos internamentos, quatro dos quais em cuidados intensivos.

Desde que o primeiro caso de contágio foi diagnosticado, em março passado, Portugal teve 483 689 casos confirmados e 7 803 mortes com COVID-19.

A DGS considera ativos 106 778 casos, mais 4 372 do que no sábado, e dá como recuperados 369 108, mais 3 028, mantendo em vigilância 117 210 contactos, mais 3 684.

A maior parte dos novos casos (2 752) foi diagnosticada na região de Lisboa e Vale do Tejo, seguindo-se a região Norte, com 2 600 contágios, o Centro (1 362), Alentejo (373), o Algarve (285), a Madeira (67) e os Açores (63).

Das 102 mortes verificadas nas últimas 24 horas, a maioria (39) aconteceu na região de Lisboa e Vale do Tejo, 27 foram no Norte, 25 no Centro, sete no Alentejo e quatro no Algarve.

Desde o início da epidemia de COVID-19 em Portugal morreram 4 071 homens e 3 732 mulheres com a doença, a maior parte com idades acima dos 80 anos.

A maior incidência de casos verifica-se entre os 20 e os 59 anos. Foram diagnosticados com infeção pelo novo coronavírus 265 986 mulheres e 217 538 homens.

A pandemia de COVID-19 provocou pelo menos 1 926 570 mortos resultantes de mais de 89 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, o estado de emergência decretado em 9 de novembro para combater a doença foi renovado com efeitos desde as 00:00 de 8 de janeiro, até ao dia 15.

A COVID-19 é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

9 de janeiro

DGS 9 de janeiro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h14] | Mais 9478 casos nas últimas 24 horas. "Portugal contabiliza neste sábado mais 111 mortes relacionadas com a COVID-19 e 9478 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

No total, desde março, Portugal já registou 7701 mortes e 476 187 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando neste sábado ativos 102 406 casos, mais 3468 em relação a sexta-feira.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internadas 3555, mais 104 pessoas do que ontem, e 540 em cuidados intensivos, mais quatro.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 113 526 contactos, mais 4365 relativamente a sexta-feira.

O boletim revela ainda que foram dados como recuperados mais 5899 doentes. Desde o início da epidemia em Portugal, em março, já recuperaram 366 080 pessoas.

Relativamente às 111 mortes registadas nas últimas 24 horas, 44 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, 29 na região Norte, 25 na região Centro, 11 no Alentejo e duas no Algarve.

O recolher obrigatório a partir das 13h00 aplica-se neste fim de semana em 253 concelhos de Portugal continental, o que representa 91% dos municípios deste território, encerrando à mesma hora a generalidade do comércio.

Independentemente do nível de risco de transmissão da COVID-19, durante este fim de semana está proibida a circulação entre concelhos em todo o território continental português, medida que entrou em vigor a partir das 23h00 de sexta-feira e se prolonga até às 05h00 de segunda-feira, com um conjunto de exceções de deslocações autorizadas, por motivos de saúde e para ir trabalhar, por exemplo.

Segundo o decreto do Governo que regulamenta o novo estado de emergência, o recolher obrigatório prevê um conjunto deslocações autorizadas, em que se incluem desempenho de funções profissionais, obtenção de cuidados de saúde, ir a estabelecimentos de venda de produtos alimentares e de higiene, assistência de pessoas vulneráveis, exercício da liberdade de imprensa e passeios pedonais de curta duração."

8 de janeiro

Relatório DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h12] | "Novos máximos." "A Direção-Geral da Saúde registou novos máximos de mortes e casos diários de COVID-19. Nas últimas 24 horas, houve 118 mortos e 10 176 novas infeções confirmadas com COVID-19.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo há 4291 novos casos (42%), 2969 no Norte (29%), 1936 no Centro (19%), 433 no Alentejo (4%), 400 no Algarve (4%), 65 na Madeira e 55 nos Açores.

Quanto à distribuição etária das vítimas mortais, cinco tinham entre 40 e 49 anos, seis entre os 50 e os 59 anos, 25 entre os 70 e os 79 anos e 78 mortes acima dos 80 anos.

O número de internamentos também volta a subir e a bater recordes. Há, nesta altura, 3451 pessoas internadas, mais 118 do que ontem, das quais 536 em cuidados intensivos (mais 22 do que ontem).

Os dados da Direção-Geral da Saúde apontam para quase 100 mil casos ativos da doença, ou seja, cerca de 1% da população portuguesa está infetada.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 466 709 casos da doença, dos quais 7590 morreram e 360 181 conseguiram recuperar."

7 de janeiro

Relatório DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h51] | "Quase 10 mil casos e 95 mortes no segundo pior dia." "Portugal regista quase 10 mil casos e 95 mortes por COVID-19 nas últimas 24 horas, avança a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Esta quinta-feira é o segundo dia com mais mortes e casos desde o início da pandemia.

Depois do máximo de 10 027 infeções registadas na quarta-feira, o país soma 9927 casos do novo coronavírus no espaço de um dia.

Há agora mais 6356 casos ativos da doença, num total de 93 360 pessoas que estão atualmente com COVID-19.

O número de internados hospitais portugueses sobe para 3333, são mais 40 pessoas em 24 horas.

Em unidades de cuidados intensivos há mais um internado, num total de 514.

Em contactos de vigilância estão mais de 103 mil doentes ou pessoas em isolamento profilático. Recuperaram da doença 3476 pessoas nas últimas 24 horas.

A região Norte regista 27 mortes e 3554 novos casos, e Lisboa e Vale do Tejo 38 óbitos e 3501 infeções no espaço de um dia.

A região Centro contabiliza 17 mortes e 1855 casos, o Alentejo 10 mortes e 574 casos e o Algarve três óbitos e 348 casos.

Nas regiões autónomas, os Açores soma 68 casos e a Madeira 27."

 

PORTUGAL: TVI24 [14h26] | "Proibida a circulação entre concelhos já neste fim de semana." "O primeiro-ministro anunciou hoje que a circulação entre concelhos será proibida já neste fim de semana, devido ao grande aumento de casos de COVID-19.

Também haverá recolher obrigatório às 13h00, até às 5h00 da manhã, com exceção dos concelhos de limite de menor risco de contágio, que são só 25.

António Costa admitiu que, na próxima semana, o Governo poderá tomar medidas mais restritivas. Até lá, vai ouvir os partidos e os parceiros sociais.

O primeiro-ministro afastou o encerramento das escolas, mas admite a hipótese de estender à semana estas restrições do fim de semana, numa espécie de novo confinamento geral.

'O que temos feito até agora é fazer incidir as medidas sobre o fim de semana. Um passo em frente significa estender ao resto da semana esse tipo de medidas, portanto, adotar medidas de confinamento mais geral, do tipo que adotámos em março passado.'

Costa ainda tem 'esperança' que os números abrandem até dia 12, para evitar esse novo confinamento.

'Há um grande consenso hoje entre os técnicos e os especialistas de que não se justifica afetar o funcionamento do ano letivo. Não devemos ter medidas que impliquem, como adotámos no ano letivo passado, a interrupção da atividade letiva.'"

"[Rádio Renascença] Os 25 concelhos com medidas mais leves são: Alcoutim, Aljezur, Almeida, Arronches, Barrancos, Carrazeda de Ansiães, Castanheira de Pêra, Castelo de Vide, Coruche, Ferreira do Alentejo, Freixo de Espada à Cinta, Lagoa, Manteigas, Monchique, Odemira, Pampilhosa da Serra, Proença-a-Nova, Resende, Santiago do Cacém, Sardoal, Sernancelhe, Sines, Torre de Moncorvo, Vila de Rei e Vila do Bispo."

6 de janeiro

Relatório DGS

PORTUGAL: TVI24 [13h57] | Recorde de 10 027 novos casos. "É mais um recorde que ninguém quer bater. Portugal superou, nesta quarta-feira, a barreira dos 10 000 casos diários de COVID-19, apenas seis dias depois do anterior registo máximo, totalizando 10 027 casos positivos nas últimas 24 horas.

Portugal voltou a registar também um dos balanços mais altos de mortes, com 91, ainda assim abaixo dos 98 óbitos registados a 13 de dezembro e dos 95 contabilizados um dia antes.

No último dia do ano marcado pela pandemia, 31 de dezembro, tinham sido contabilizados 7627 infetados, o número até então mais elevado.

O terceiro dia com mais casos foi reportado a 4 de novembro, mas incluía 3570 casos decorrentes de atraso no reporte laboratorial.

Desde o início do ano que os números da situação epidemiológica em Portugal não dão tréguas: 66 mortos e 6951 infetados no primeiro dia do ano; seguindo-se mais 73 mortes e 3214 casos a 2 de janeiro; 73 óbitos e 3384 infetados a 3 de janeiro; 78 mortos e 4369 novos casos a 4 de janeiro; e 90 mortes e 4956 infetados na terça-feira.

Igualmente o número de internamentos subiu dos 3260 de terça-feira (512 nos cuidados intensivos) para 3293 (mais 33 nas últimas 24 horas; e mais um em cuidados intensivos para 513). O registo mais alto de internamentos foi atingido a 9 de dezembro, com 3332 doentes hospitalizados."

5 de janeiro

Boletim DGS Covid-19

PORTUGAL: Renascença [15h00] | Números do dia. Portugal regista esta terça-feira mais 90 mortes, 4956 casos e 89 internados com COVID-19, avança a Direção-Geral da Saúde (DGS). Este é o quarto dia com mais mortes desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020. Desde a chegada da pandemia ao país estão confirmados 7286 óbitos e mais de 436 mil infeções pelo novo coronavírus.

4 de janeiro

Boletim DGS Covid-19

PORTUGAL: LUSA [14h20] | Números do dia. "Portugal contabiliza hoje mais 78 mortes relacionadas com a COVID-19 e 4369 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

O boletim epidemiológico da DGS indica ainda que estão internadas 3171 pessoas, mais 127 do que no domingo, das quais 510 em cuidados intensivos, ou seja, mais dez. Desde o início da pandemia, Portugal já registou 7186 mortes e 431 623 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 80 008, mais 2407 do que no domingo.

3 de janeiro

Relatório DGS

PORTUGAL: TVI24 [14h33] | Mais 3384 infetados. "Portugal soma hoje mais 73 mortes por COVID-19 e 3384 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

O boletim epidemiológico da DGS indica ainda que estão internadas 3044 pessoas, mais 186 do que no sábado, das quais 500 nos cuidados intensivos (+8).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 7118 mortes e 427 254 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 77 601, mais 926 do que no sábado."

2 de janeiro

Boletim DGS

PORTUGAL: Público [14h01] | COVID-19 em Portugal: mais 73 mortes e 3241 novos casos. "Portugal registou, no primeiro dia do ano, 73 mortes por COVID-19 e 3241 novos casos de infeção. No total, desde março, há 422 870 casos confirmados e 7045 óbitos.

Os dados acabam de ser revelados pela Direção-Geral da Saúde, nesta tarde de sábado, mas dizem respeito à totalidade do dia de sexta-feira.

Há mais 1482 casos recuperados de infeção (num total de 340 150) e um número semelhante de novo casos ativos: 1686, num total de 76 675.

O número de hospitalizações subiu, depois de registada uma descida no dia anterior. Há 2858 pessoas internadas (mais 52) e 492 nos cuidados intensivos (mais nove).

Grande parte dos novos casos e dos óbitos foram registados em duas regiões: Norte (1104 novos casos e 22 óbitos) e Lisboa e Vale do Tejo (1418 novos casos e 28 óbitos)."

1 de janeiro de 2021

Boletim DGS

PORTUGAL: Expresso [15h48] | Mais 6951 infetados, 66 mortes e 4392 recuperados em Portugal. "Portugal regista esta sexta-feira mais 6951 infeções, 66 mortes e 4392 recuperações. As boas notícias são no número de internamentos, que volta a descer pelo quarto dia consecutivo: menos 34 doentes internados nos hospitais portugueses, que têm agora 2806 camas ocupadas. Há mais uma pessoa internada em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), no total são 483 os doentes nestas unidades hospitalares.

Há esta sexta-feira 74 989 casos ativos, mais 2493 do que na véspera, indica o boletim da DGS.

A pandemia entra no novo ano com os seguintes números totais: 420 629 casos confirmados, 338 668 recuperados, 74 989 casos ativos, 6972 óbitos e 91 527 contactos em vigilância.

As vítimas mortais foram registadas em todas as regiões do país, exceto no arquipélago dos Açores: 28 mortes no Norte, 23 em Lisboa e Vale do Tejo, 10 no Centro, 3 no Alentejo, uma no Algarve, e uma na Madeira.

Quanto ao número de casos por região, o Norte (2745 casos) voltou a ultrapassar a região de Lisboa e Vale do Tejo (2131), ao contrário do que aconteceu na véspera. No último dia do ano, e pela primeira vez em quase três meses, LVT foi a região com mais infeções em 24 horas, somando 2801 infetados, contra os 2588 no Norte."

Ver todas as notícias de agosto aqui.

Ver todas as notícias de julho aqui.

Ver todas as notícias de junho aqui.

Ver todas as notícias de maio aqui.

Ver todas as notícias de abril aqui.

Ver todas as notícias de março aqui.

Texto: Márcia Dores, Filipa Fernandes Garcia, Diogo Nascimento, Sónia Antunes e Marco Rebelo

Fotos: Tuttosport / Corriere dello Sport / The Guardian / Le Figaro / Mundo Deportivo / L'Équipe / AS / La Repubblica / El País / Portugal.gov.pt / UEFA / Twitter Roland Garros / Il Messaggero / Corriere della Sera / Liga Portugal / ACP / COI / Reuters / New York Times / The Telegraph / FIFA / De Telegraaf / Público / Expresso

Última atualização: 22 de janeiro de 2021

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar